Começar um novo ano é sempre uma grande responsabilidade


Começar um novo ano é sempre uma grande responsabilidade. E é sempre o mesmo. Traçamos metas, buscamos conquistar novos caminhos, conhecer novas pessoas, realizar novas ações em nossas vidas. Transbordamos nossos corações de bons sentimentos e pensamentos, todos focados em grandes realizações. E nos esquecemos que os dias estão passando, agora mesmo. A responsabilidade toda desses pensamentos se focam apenas nos primeiros dias do ano, depois é tudo igual, novamente. Mas, por um momento a gente passa a acreditar que ao trocar o ano tudo será diferente. E é essa fé que devemos cultivar. A fé de que as coisas serão diferentes. E é neste pensamento que devemos nos focar para que as coisas possam realmente mudar. Não é o novo ano que fará com que tudo aconteça, mas a sua vontade de fazer acontecer. O seu desejo de um ano novo diferente e cheio de novas realizações. Traçar metas é muito importante, mas mais importante que isso é traçar caminhos e caminhar durante eles por todos os trezentos e sessenta e cinco dias do ano, até que tudo comece novamente ao próximo trocar de ano. Os anos são diferentes, mas a vida continua a mesma. Você é o mesmo ser humano, apenas mais ou menos evoluído, com novos ou os mesmos planos de ontem, no caminho que você escolheu ou que escolheram para você. Começar um novo ano é sempre uma grande responsabilidade, mas maior responsabilidade ainda é decidir realizar as metas que você traçou, é querer fazer diferente, é tornar cada ano especial e cheio de conquistas. Leve o desejo de um ano novo durante todo o seu ano, todos os dias. Faça de cada dia um novo dia, e ao invés de traçarmos metas para o ano, vamos traçar metas para cada dia em sua grandeza. Viver como se todos os dias o ano fosse se renovar, com esse espírito e essa vida. Ter a responsabilidade de viver sonhos e conquistas sempre que desejar e não apenas nos primeiros ou nos últimos dias do ano. Viver todo dia um ano novo. 

Não há solidão quando somos parte de nós mesmos


Não há solidão quando somos parte de nós mesmos, quando encontramos felicidade com o nosso eu. Não há tristeza quando encontramos felicidade dentro de nossos próprios corações. Não há como se sentir sozinho se você é o seu melhor companheiro. Não há como estar desacompanhado quando o seu eu te faz a melhor companhia. Somos capazes de amar o próximo mais do que nós mesmos, mas somos capazes também de nos amar acima de qualquer coisa, ou qualquer um. E isso é o mais importante, amar o nosso eu acima de tudo ou de todos, estar sempre em primeiro lugar, entender que a nossa vida é o mais importante para nós e que nada pode abalar ou mudar isso. Se você se sentir sozinho, lembre-se que você está acompanhado de você mesmo, e essa é a melhor companhia que você poderia desejar. 

A menina que cresceu, floresceu e amadureceu


Prazer, essa sou eu. É a primeira vez que escrevo sobre mim aqui no Escritora de Gaveta. É a primeira vez que eu realmente escrevo sobre mim, sem medos e sem preocupações. Que eu escrevo com o coração aberto e com um sorriso enorme no rosto. Essa sou eu, cheia de defeitos, mas cheia de intensidade. Cheia de medos, mas também repleta de coragem. A menina que cresceu, floresceu e amadureceu. Ouço Elis Regina, escrevo sobre reconstrução de conceitos e converso sobre poemas. A minha risada é tão engraçada quanto as piadas que tento contar. Faço da minha vida uma eterna página em branco, escrevendo todos os dias os meus sonhos, eternizando os meus sentimentos e vivendo de uma forma que eu nunca imaginei. Vivendo. Viver é muito mais mágico do que podemos imaginar. E eu não achei que fosse capaz de mudar, de viver de uma forma muito mais leve, de ser eu. E hoje, eu sou eu. É engraçado como essa última frase pode parecer extremamente sem sentido, mas existem inúmeras pessoas por aí vivendo sem serem elas mesmas, por mais inacreditável que isso pareça. Gosto da vida, gosto de viver. Gosto de me reencontrar todos os dias. Leio livros, escrevo sobre o amor e assisto filmes de terror. Sou indecisa e sentimental ao extremo. Canceriana. Cheia de criatividade. Vinte e um anos de muitos erros e aprendizados, de muito orgulho e amor. Essa sou eu, tentando caminhar sempre na direção certa, mas deixando o vento me guiar. Tentando florescer todos os dias. Cheia de sonhos, no meio de uma estrada linda e cheia de vida. Vivendo. Errando. Aprendendo. Apreciando. Agradecendo. Gosto muito de levar a gratidão sempre comigo. Tentando sair da caixa do preconceito, tentando libertar todos os dias o coração e a alma. Tentando realmente ser livre. Reconstruindo. Buscando sempre inspirações. Buscando sempre o amor. E a vida é mesmo essa busca eterna, essa reconstrução e essa intensidade, todos os dias caminhando por terras desconhecidas, descobrindo tesouros e encontrando piratas. E só você pode decidir se vai viver com mais ouro ou com mais morte. A escolha no final sempre será nossa. E assim, a gente se descobre e se molda, sempre em evolução. Agradeço por não ser mais a mesma pessoa de antes e por não ser a mesma de amanhã. Prazer, essa sou eu. Não sou perfeita, ninguém é. Mas, espero que de alguma forma essas palavras lhe toquem o coração. Para mim, uma pequena inspiração no coração de alguém já é válida por uma vida toda. Obrigada por me conhecer um pouco mais.

A liberdade de estarmos juntos


É a liberdade de escolher estar junto. Você me escolheu, desde o primeiro momento em que os nossos olhares se cruzaram. Eu te escolhi, quando o seu abraço se encontrou com o meu e me aqueceu por inteira. Nos escolhemos quando os nossos sorrisos já não se completavam sozinhos, quando nossas mãos se encaixavam sozinhas. Quando você e eu nos tornamos "nós". E foi escolha, foi amor, foi desde o primeiro beijo. Foi intenso. Duas pessoas tão diferentes, mas ao mesmo tempo tão iguais, se completando numa sintonia quase inexplicável. E foi uma sintonia, uma troca de energias, uma sensação única. É a sensação de estar com saudade mesmo quando acabamos de nos despedir. É ir, mas querer ficar. Ficar para sempre. É querer enfrentar qualquer obstáculo, qualquer barreira, qualquer pessoa; só para te encontrar, te abraçar e sentir você. É reciproco, eu sei. Nós sabemos. Só nós entendemos. E não precisamos que ninguém nos ensine a fórmula do amor, aprendemos juntos da melhor maneira possível. E continuaremos aprendendo, até que essa energia se acabe. E o melhor da liberdade é isso, estar por querer estar. Amar por desejar amar. E eu te quero, te escolhi e te amarei, por mais louco que seja esse nosso amor. E na loucura a gente se encontrou, do lado avesso a gente se descobriu pessoas melhores ao lado um do outro, e sentimos a necessidade de estar junto, nos sentimos muito mais "nós"; e foi a melhor escolha que eu poderia fazer. Sou feliz por ter me escolhido também. Que os nossos dias sejam cheios de loucuras e de amor, que todos os dias possamos afirmar a escolha que fizemos de estar juntos. Que nossa energia nunca se acabe, que os nossos olhares não deixem de se cruzar e que o seu abraço continue me aquecendo. Que eu possa te completar. Que sejamos sempre nós, com a liberdade de estarmos juntos.

O sol irá sempre brilhar outra vez


Você está prestes a cair, na beira do precipício, pensando em quanto tempo vai demorar para que essa sua dor vá embora. O mundo parece que parou e os seus olhos estão fixos na paisagem do horizonte, mas você não vê. Você olha para o além, mas não enxerga nada além da sua própria dor. A sua consciência canta levemente uma música sem fim. Você não compreende a letra, mas aprecia a melodia. A música continua tocando e só você ouve, buscando ainda apreciar a paisagem do horizonte, mas você nada vê de olhos fechados. O seu corpo parece levitar diante da brisa que toca o seu rosto, você sente o calor do sol e a brisa fresca, mesmo sabendo que o frio lá fora é intenso. O seu coração está aquecido, mas a sua mente está fria. A melodia busca te aquecer, mas você já não sabe mais quanto tempo vai suportar. Você acredita que não há mais soluções e deixa a dor tomar conta de você por completo. A dor te invade, te faz querer gritar e você grita, mas em silêncio. Você quer correr para longe até suas pernas cansarem, mas você não consegue dar um passo. O seu coração está acelerado e você quer que tudo isso passe logo. Então, você abre os olhos e sente o calor do sol. Olha para o horizonte, desta vez enxergando as flores que acabaram de florescer. As nuvens fazem você apreciar o sol e você se lembra que todos os dias ele vai estar ali para te aquecer, mesmo nos dias mais frios. A brisa te toca levemente relembrando o toque de quem te ama e então as lágrimas escorrem como uma cachoeira sem fim, e a música volta a tocar levemente. Desta vez, a melodia te completa e você compreende a canção, que diz que você deve continuar, que tudo isso vai passar e que você precisa continuar. O seu coração está quente e você abre os olhos e o coração e faz com que a esperança floresça outra vez. Você deixa a beira do precipício sem olhar para trás, com o coração um pouco apertado, mas com a mente liberta. E você vai viver, mais uma vez, buscando o sol que te aquece e a brisa que te acalma, vivendo sempre um dia após o outro e não se esquecendo nunca de que o sol irá sempre brilhar outra vez.

Não é questão de sorte, é questão de tempo


Eu sempre achei que o amor verdadeiro viria com a sorte. A sorte de cruzar a rua na hora certa e encontrar o amor da sua vida. A sorte de estar na balada e cair nos braços de um cara legal que vai te pagar uma bebida e se apaixonar por você. A sorte de encontrar uma alma gêmea, alguém sem defeitos e que amaria você por ser quem você é. Isso tudo pode acontecer, mas não é questão de sorte e sim, de tempo. O tempo certo. Não adianta você achar que tudo vai acontecer na hora em que você quiser, pois você só vai apressar o tempo que não deveria ser apressado. Deixar as coisas acontecerem naturalmente é o que falta na vida de muita gente. Inclusive na minha. Não tenha pressa de ir para a balada e cair nos braços de um cara legal, mas vá para a balada curtir com os amigos e se acontecer, ótimo. Não cruze a rua na hora certa, cruze quando sentir vontade e achar que deve ir, se tiver que ser, será. A vida é muito curta para apressarmos ainda mais os acontecimentos dela. O amor verdadeiro virá e talvez será totalmente diferente de tudo o que você imaginou, justamente por isso; por ser verdadeiro. O que é real é mais surpreendente do que tudo que imaginamos. E você verá que isso sim é sorte. Sorte é encontrar alguém que talvez passou a vida toda ao seu lado e por tantas vezes cruzou o seu caminho, mas você não percebeu. Sorte é encontrar alguém que vai te pagar uma bebida e se apaixonar por você no tempo certo, sem pressa. Sorte é encontrar alguém que vai olhar nos seus olhos e admirar o seu sorriso. Sorte é esperar o tempo que for para estar ao lado de alguém que vai aquecer o seu coração. E por fim, você vai perceber que não era questão de sorte, mas tudo foi questão de tempo. O seu tempo, o tempo da sua vida. Apenas viva, viva de uma forma que consiga compreender o tempo e assim, vai aproveitar muito mais os momentos. Os seus momentos. O seu tempo.

Resenha: "Quem é você, Alasca?"

"Como sairemos deste labirinto de sofrimento?" (John Green)


“Quem é você, Alasca?” foi o meu livro favorito de toda vida. Uma leitura descontraída e leve, ao mesmo tempo emocionante e cheia de aventuras. Só mesmo John Green para me fazer chorar com seus romances dramáticos. Alasca é uma garota cheia de atitude que não possui medo do amanhã, gosta de aventuras e é apaixonante. Miles é um garoto tímido que busca viver a vida em busca de um grande talvez. Colecionador de últimas palavras e cheio de expectativas com sua vida nova em um novo colégio. Coronel, o garoto quase popular e respeitado entre os colegas, acaba se tornando colega de quarto de Miles e mais do que só um colega, se torna o seu melhor amigo. 


O livro é sensacional. O autor consegue reunir mundos diferentes através de uma amizade verdadeira e indestrutível. Miles, é nerd e cheio de medos, mas com uma vontade de viver a vida imensa. O Coronel é um garoto cheio de experiências, aproveita todos os segundos da vida sem medo do amanhã, e Alasca é uma garota cheio de medos, mas que não permite que vejam isso através dela, sendo assim uma garota apaixonante, corajosa e uma grande amiga. "Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos." 


Uma leitura que eu recomendo para qualquer idade, principalmente para quem está passando por este labirinto de sofrimento e não sabe como sair dele. Nos últimos dias, eu estava triste e pensando que nada tinha solução, um sentimento de estar perdida dentro de um labirinto sem fim, e a leitura deste livro me abriu a mente e me fez ver as coisas por um outro lado. Somos tão egoístas ao ponto de pensarmos somente em nossos sentimentos e querermos sair sozinhos do labirinto, mas esquecemos que existem outras pessoas perdidas também, tão infelizes quanto nós, e juntos podemos nos livrar deste sentimento e encontrar um caminho. Alasca quis resolver da pior forma essa sua prisão no labirinto, mas os sentimentos de Miles e do Coronel mostram como as coisas poderiam ser diferentes.


Eu diria que Alasca é uma garota cheia de atitude e coragem, que infelizmente sofria por um erro que não era dela. O sentimento mais comum que vejo nas pessoas, e o mais difícil de se lidar: a culpa. Nos culpamos o tempo todo, entramos neste labirinto e ficamos perdidos, sem saber como sair deste sentimento de culpa. O problema é que a culpa pode nos levar a tristeza sem fim. Alasca era apaixonada pela vida, mas não gostava de viver, ou não achava que deveria viver, talvez pensasse que não merecia uma vida. O amor de seus amigos fazia com que ela se sentisse melhor, mas ainda faltava alguma coisa. Com este livro, percebi que sempre irá faltar algo, mas quem deve ir em busca do que nos falta somos nós. Se faltar amor, ame. Se faltar alegria, sorria.

E vocês, já se sentiram neste labirinto? Já leram "Quem é você, Alasca?" do autor John Green? Gostaram da resenha? Eu espero que sim! Gosto de resenhas com sentimento e tentei mostrar tudo que senti lendo este livro e confesso, foi o melhor livro que já li em toda minha vida. 

Dicas para sua leitura se tornar mais agradável

Já fiz um post compartilhando com vocês algumas dicas para uma boa leitura em qualquer lugar, para qualquer pessoa, e hoje trouxe mais algumas dicas particulares para que nossa leitura se torne mais agradável. Ler é sempre maravilhoso, mas no lugar errado, na hora errada e com pessoas erradas, pode se tornar muito chato e cansativo.

Foto: Melina de Souza, blog A Series of a Serendipity.
Leia sempre em um lugar sem barulhos (ou com fones de ouvido); 

Cada pessoa encontra uma forma de se concentrar na leitura, no meu caso eu não consigo ler ouvindo música, já para algumas pessoas é a melhor forma para se concentrar. Gosto sempre de procurar lugares calmos para ler, até mesmo no meu quarto quando estou em casa, ou no quintal. Acredito que barulhos externos atrapalham muito nossa leitura e temos que ler mil vezes o mesmo trecho para entender a história, e isso pode se tornar cansativo. Talvez esse não seja o seu problema e você se concentre em qualquer lugar, independente dos barulhos, mas não é o meu caso. 

Procure livros que você goste; 

Essa é uma dica um pouco óbvia, mas escolher o livro certo é essencial. Não tente forçar uma leitura que você sabe que não gosta, vai se tornar muito cansativo e pode até fazer com que você se afaste de outros livros. Escolha as leituras que você goste, sejam romances, dramas, ficção... Não julgue nunca um livro pela capa.

Foto: Melina de Souza, blog A Series of a Serendipity.
Não leia com pressa ou com o tempo curto; 

Sabe quando a gente começa ler faltando dez minutos para um compromisso? Não faça isso. Dedique seu tempo para que a leitura seja boa, reserve pelo menos trinta minutos para que sua leitura não seja rápida e você não aproveite nada do livro, ou tenha que ler novamente o mesmo trecho mais tarde. Quando fazemos isso, ou ficamos com raiva de parar de ler, ou ficamos tristes por ir para o compromisso, acredito que não seja saudável para você e para sua leitura.

Leia resenhas antes de começar o seu livro, mas não spoilers; 

Já aconteceu comigo e prejudicou muito minha leitura. Eu estava super a fim de ler um determinado livro e comecei, mas quando estava na metade fui ler algumas resenhas e acabei sabendo de toda a história. Resumindo: não consegui terminar de ler o livro. Se está em dúvida sobre qual livro ler, procure dicas em blogs literários ou em revistas, leia resenhas e veja vídeos falando sobre o livro, talvez você se empolgue sabendo que outras pessoas já aprovaram, mas não leia nunca spoilers, pois aí você não vai ter vontade mesmo de ler um livro do qual já sabe o que vai acontecer.

Espero que tenham gostado das dicas e que aproveitem ao máximo a leitura de vocês! Quais outras dicas vocês poderiam adicionar nesta listinha? Qual livro você está lendo agora? Comente! 

A mudança mais valiosa da minha vida


Depois de terminar o ensino médio chegou o momento de escolher qual curso eu iria iniciar na faculdade, e foi quando eu escolhi Publicidade e Propaganda. Cursei um ano inteiro de Publicidade e eu realmente estava feliz com o meu curso, mas não feliz o suficiente, se é que vocês conseguem me compreender. Eu sempre senti que faltava algo, faltava uma inspiração. Sempre fui uma pessoa movida aos meus sentimentos, sempre pensando no que eu poderia oferecer de melhor ao mundo, e em Publicidade eu não estava me sentindo totalmente completa e realizada. O curso realmente é ótimo e eu continuo recomendando, mas no meu coração eu decidi que precisava seguir outro caminho. Então, ao início do segundo semestre de Publicidade, fui convidada pela Diretoria de Educação aqui da minha cidade para realizar um projeto no "Dia de Ler Lençóis Paulista", e foi quando eu tive o meu primeiro contato com crianças, lendo e ensinando-as algo. Foi nesse momento que eu decidi (ou dei voz ao meu coração que já estava gritando comigo) que eu queria mesmo era ser professora, que eu queria mesmo ensinar e plantar sonhos por aí, viver com amor, viver pela educação. Parei para pensar, para refletir nos pontos positivos e negativos de fazer essa mudança, pois eu já havia estudado praticamente um ano inteirinho de Publicidade e Propaganda e estaria perdendo todo o tempo que vivi, e então percebi que eu não estaria perdendo nada, pelo contrário, eu estaria ganhando, e muito. Nunca perdemos tempo quando se trata de conhecimento. Fiz a mudança. Contei aos meus amigos que no próximo ano eu não estaria mais com eles e iria seguir o meu sonho de estar dentro de uma escola. E fui. E me encontrei. E estou me sentindo muito feliz e muito completa. Estaria totalmente arrependida se tivesse continuado em um caminho que talvez não me levaria ao fim de uma estrada que trilhei, ou se eu continuasse perdida. Nunca é tarde para escolhermos qual caminho queremos seguir e nunca é tarde para recomeçar. Estou preparando muitos conteúdos legais para compartilhar com vocês aqui no blog sobre essa nova fase incrível que estou vivendo e aprendendo muito. Infelizmente, o tempo é o meu maior inimigo, mas não vai me fazer parar. Agora, um conselho: siga os seus sonhos sempre e ouça o seu coração. 

Como crescer o seu blog e sair das gavetas

Criar um blog é fácil, o difícil é você conseguir atualizar ele sempre, com um conteúdo atraente e que não fuja do seu perfil. Eu criei o Escritora de Gaveta em agosto de 2013, irão completar quatro anos que ele está no ar e já passamos de cem mil visualizações. Claro, aos olhos de alguns isso é bem pouco, mas não estamos falando somente de números, estamos falando de realização pessoal, visitantes fiéis e amor pelo trabalho de se ter um blog. Então, o primeiro passo e a primeira dica é:

AME O SEU BLOG E OS SEUS VISITANTES, não se importe somente com os números. 

Foto: Melina de Souza, blog A Series of a Serendipity.
Quando eu criei o blog eu só pensava em uma coisa: "preciso mostrar ao mundo as coisas que eu escrevo, os meus sentimentos e a minha história, eu preciso saber se alguém sente o mesmo que eu e eu quero ajudar seja quem for que também ame escrita para sair  das gavetas, assim como eu estou saindo." E foi isso. Criei por amor. Amor pela escrita, amor por mim e pelas coisas maravilhosas que eu estava vivendo, e pela vontade de mostrar que o mundo pode ser muito mais belo do que pensamos. E se você quer compartilhar algo, pense se está agregando algo de bom no mundo, se está tornando ele mais belo e mais feliz, e se não está sendo só mais um indivíduo em busca de seguidores. Ame o seu conteúdo.

Foto: Melina de Souza, blog A Series of a Serendipity
Importante lembrar também que ninguém chegou aos milhões de seguidores de um dia pro outro, foram anos de trabalho para conseguir fazer com que as pessoas admirassem aquele trabalho. Eu tenho consciência disso e amo qualquer pessoa que visite o meu blog e me conheça um pouco mais através das minhas palavras. Sempre digo que irei escrever mesmo que tenha somente um leitor, pois é algo que eu amo e irei sempre agradecer cada visita. Seja grato pelos dez seguidores que você possui e não fique louca em busca dos cem. Faça com que os dez se sintam em casa e que voltem sempre ao seu blog, assim eles irão compartilhar e comentar sobre o seu conteúdo, agregando valor e trazendo mais seguidores.

PUBLIQUE SEMPRE conteúdos legais e que façam parte do seu público e perfil. Não perca o foco.

Foto: Melina de Souza, blog A Series of a Serendipity.
Não perder o foco é muito importante. Se você criou o blog para falar sobre esmaltes, as pessoas irão acessar ele em busca de dicas para unhas, e se você começar a falar sobre alimentação saudável, vai estar saindo do seu foco e o público que você conquistou pode ir embora e não voltar. Claro, blogs são sempre muito abrangentes e podem sim ter mais de um assunto principal, mas deixe isso claro para os seus leitores e publique vários temas durante a semana, para que o público tenha motivos para visitar o seu blog.

ATUALIZE AS REDES SOCIAIS, mas não seja inconveniente de divulgar o seu blog em mensagens privadas ou lugares inapropriados.

Foto: Melina de Souza, blog A Series of a Serendipity.
Atualizar as redes sociais é essencial, pois através delas que os leitores irão acessar e conhecer o seu blog. Mantenha sempre em ordem suas publicações nas redes sociais, com uma boa gramática também. Mantenha o português correto, não é porque você está na internet que vai sair abreviando tudo e escrevendo tudo errado, tudo bem? E uma dica muito importante é: não seja inconveniente e não saia por aí jogando o seu link em qualquer lugar, isso pode prejudicar a sua imagem e fazer com que as pessoas percam o interesse em te visitar.

INOVE, saia da zona de conforto e crie coisas novas.

Foto: Melina de Souza, blog A Series of a Serendipity.
Hoje, inovar é parte importantíssima para quem quer ser bem sucedido. Não seja só mais um blog no meio de tantos outros, crie coisas novas, mesmo que esteja falando sobre um assunto que todo mundo fala, fale do seu jeito, crie algo novo para compartilhar aquele mesmo assunto. Quando perceber que o seu blog já está bom o suficiente e que os seus leitores querem conhecer mais de você, crie um canal no Youtube e fale sobre os seus assuntos em vídeo! Mas lembrando que, é essencial que você não se esqueça do seu blog e das pessoas que te acompanham por lá, pois foi ele quem te trouxe os leitores e leitoras que irão junto com você para as outras redes sociais.

Espero que tenham gostado do post e espero também que compartilhem comigo as dicas de vocês para fazer o blog crescer e sair das gavetas. Sou muito grata pela coragem que tive de compartilhar com vocês minhas criações.

Um mundo tão cheio de sentimentos vazios


Passei muitos dias pensando: "Onde foi que eu errei?", "O que eu poderia ter feito para que fosse diferente?", "Será que o problema sou eu?". Mas, calma. O problema não era eu. Não sou eu. Não haveria nada que eu pudesse fazer para que fosse diferente. Simplesmente, deveria ser como foi. Sem os erros, não há aprendizados. Sem aprendizados, não há sabedoria; e por mais clichê que isso pareça, é a verdade. Toda história precisa de um começo, um meio e um fim. O problema é que às vezes o fim chega antes do esperado. Ficamos presos em uma história que gostaríamos de continuar lendo, mas talvez o livro tenha terminado e você só voltou ao começo para ler novamente as páginas que mais gostou, mas a história é a mesma. E ao invés de ler novamente, esquecemos de quantos livros existem por aí esperando para serem lidos e o melhor, vividos. Tantas histórias te esperam, tantos momentos que você ainda não viveu por estar presa em um livro antigo. Talvez o erro esteja nas pessoas que não sabem o quanto o amor é lindo e poderoso, e no quanto ele muda nossas vidas se o permitirmos. Talvez o erro esteja nas pessoas rasas neste mundo tão cheio de sentimentos vazios. Nos culpamos tanto por coisas que não estavam ao nosso alcance e isso se torna tão desgastante com o passar do tempo que nos esquecemos que a culpa não é nossa e passamos a acreditar que talvez tudo poderia ser diferente. Mas, talvez não poderia. Não são os erros que nos fazem pessoas melhores, mas sim a correção dos erros. O tempo que passamos refletindo e aprendendo. A culpa é um sentimento que nos faz refletir. Dói, mas são as maiores dores que criam os maiores seres humanos. Escreva novamente a sua história e escreva quantas vezes forem necessárias. Crie novos livros e sem culpa erre o quanto quiser. E aprenda. Aprenda e viva os momentos mais únicos da vida. A culpa não é sua por ter sido como foi se tudo não dependia somente de você.

Gaveta de looks: 'It's rock baby' com Lola Bang


Na semana passada estive fotografando em parceria com a loja LOLA BANG vários looks maravilhosos para compartilhar com vocês aqui no blog. Fizemos uma parceria incrível e fotografamos looks inspirados em rock e flores. A Bianca Lini me acompanhou nas fotos e ajudou nas composições, que ficaram ainda mais incríveis.


Neste primeiro look buscamos inspiração no rock e nas novas tendências que estão vindo com tudo neste verão, como os croppeds e o jeans. Os croppeds já estão super em alta e confesso que foi um desafio para mim fotografar com um, hahaha, mas no fim eu adorei o resultado. O look da Bianca foi um total jeans e ficou incrível! 


Muito obrigada ao Espaço Cultural por nos conceder o espaço, ao Vitor Cesar que fez as fotos e nos ajudou com a produção, A Bianca que fotografou comigo e a Stefania, dona da loja, que me apoiou desde o início e acreditou no Escritora de Gaveta. Todas as peças que usamos são da LOLA BANG (Lençóis Paulista, 25 de Janeiro, próximo à Caixa Econômica Federal) e elas são maravilhosas, amei todas. E aí, gostaram dos looks? Para conferir todas as peças e promoções, vocês podem acessar a página da LOLA BANG e conferir toda a coleção. Aproveitem para acompanhar os próximos posts aqui no blog com os próximos looks. Um beijo!