O encontro de dois corações


Lá estava ela, com todas as roupas vermelhas sobre a cama. Acreditava que o vermelho era significado de amor, por isso não poderia usar outra cor sem ser a cor do sangue, da paixão, do coração que estava acelerado naquele momento. Nada de encontrar o vestido especial. Passou a maquiagem e sentiu-se orgulhosa. Penteou os cabelos e nada de encontrar o vestido especial. Vestiu a meia calça e ali estava ele, esperando por ela do outro lado, na mesa de livros. Como foi parar ali? Não interessa, o importante é que o vestido especial foi encontrado. Vestiu-o e subiu no salto. Não acreditava que estava indo para um encontro. O celular tocou com a música que a fazia rir, era ele. Em minutos eles estariam juntos. Já foi pensando ela na trilha sonora daquele dia, daquele encontro, daquele amor. Ela sempre criava sua própria trilha sonora, era algo dela, uma mania talvez. Acreditava ela que as músicas tornavam tudo mais belo, mais harmonioso. Correu, pegou a bolsa e as chaves e saiu pela porta da frente com a sensação que esquecia algo, sempre tinha esta sensação mas nunca realmente estava. Retocou o batom rosa claro e ajeitou os cílios. Penteou mais uma vez os cabelos e partiu. No caminho e no semáforo principalmente, ficou imaginando como terminaria aquele dia. Bom ou ruim, alegre ou triste, vazio ou cheio, com sorrisos ou um coração partido. Ela sempre depositava muitas esperanças. Chegou ao tal destino, um restaurante com uma música suave que a fazia pensar que estava em Paris, mesmo nunca tendo ido à Paris. As paredes combinavam com o seu batom e as toalhas da mesa com o seu vestido. A taça de vinho combinava com o seu nervosismo. Sentou-se e ficou olhando em volta, esperando por ele. Pensou que talvez devesse ir embora, talvez ele nunca chegue, talvez teria sido um desperdício de tempo. Ele chegou. Olhou-a com um sorriso torto, de terno, gravata e olhos claros como um céu azul. Deu-lhe um beijo no rosto e sentou-se, ainda olhando para os olhos dela. Começou a falar sobre o seu dia e ela ainda estava nervosa. Como ele era descontraído e ela tão nervosa. Ela sorria e falava poucas palavras. Ele fez o pedido do jantar. Ela tomou um pouco de vinho. Ele pegou em sua mão e ela ficou sem reação. Perceberam que tudo estava como o planejado, em seus pensamentos tudo já havia sido planejado. Ficaram olhando um para outro durantes segundos que pareciam anos. A música ainda tocava e alguns casais estavam dançando. Por um momento, ela pensou em pentear novamente os cabelos, mas logo tirou essa ideia da mente e voltou para o assunto, ela ainda estava nervosa, porém feliz. Ele a chamou para dançar naquele cenário que a fazia lembrar de Paris. O coração acelerou e um grande sorriso surgiu. Os dedos entrelaçaram e a dança lenta começou. Ela estava feliz e estava completa. A música tocava e a trilha sonora surgia. O vestido vermelho lembrou-a do amor que estava ali, com eles. Ela pensou nos sentimentos que ele estava sentindo. Ele pensou nos sentimentos que ela estava sentindo. Ambos se olharam e se beijaram, era tudo que eles queriam. Um amor surgiu e a música suave continuou tocando e o vestido vermelho virou memória daquele encontro de dois corações.

Comentários

Postagens mais visitadas

"Linda do jeito que é, da cabeça aos pés..." (Tiago Iorc) 🌷